Transição de Carreira Deve ser Feita com Sabedoria

 

Photo by Pixabay.com

Inicialmente vamos falar sobre felicidade



Depois de quase um ano e meio procurando uma nova recolocação, após ter sido desligada de uma grande empresa onde passei 30 anos da minha vida, estava novamente empregada. Não foi exatamente uma procura por um novo emprego e sim uma tentativa de transição de carreira, foi uma busca não muito tradicional.

Fiz diversos cursos, frequentei inúmeras palestras e congressos sobre temas diversos, procurando sempre conhecer o que havia de mais novo no mercado, e o que aparentava ser o futuro. Conheci muita gente experiente e atualizada, um networking excepcional. Alguns na mesma situação, outros que já passaram por situação semelhante, e agora com muito know-how para repassar. Um universo bem diferente do que estava acostumada.

Sonhava encontrar uma nova ocupação, em um setor atual, que poderia ser altamente gratificante, mas acabei somente trocando de emprego. Estava novamente diante uma empresa normal, com chefes autoritários, e normas obsoletas. Tinha uma inflexibilidade de horário, que já não estava mais acostumada, sem nenhuma liberdade para falar ou agir, até mesmo para pensar, e com regras que estavam bem distantes dos meus princípios!

Imaginava encontrar um ambiente diferente, com um seleto grupo de pessoas, que possuem um elevado nível intelectual!  Mas, no entanto, encontrei um ambiente retrógrado, sem nenhuma perspectiva de crescimento, ou qualquer possibilidade de mudança ou atualização.

E agora? O que eu ia fazer com todo conhecimento que adquiri, a minha experiência anterior e a toda atualização que havia acumulando?  A frustração era muito grande. Neste momento o que menos importava era o salário ou o cargo.

Neste instante o que procurava era ter mais flexibilidade para viajar com a família, participar de reuniões, almoços e jantares nos finais de semana. Viajar com amigos, sem ter que pensar no trânsito da volta, e nos problemas que ficaram. Dançar, participar das coreografias e apresentações na escola de dança. Estar junto com a família, marido, filhos e pais, que sempre me deram apoio no momento que tinha uma jornada de trabalho muito intensa.

São aquelas coisas que não tem preço, e não há salário que compense. São momentos que, se eu não viver agora, não vou ter tempo ou vontade de aproveitar quando estiver com mais idade. Mas isto não indica que eu deixei de ser produtiva, ou não tenha mais interesse em me dedicar a uma atividade. Sinto que estou no máximo de minha capacidade produtiva.

 

Numa Transição de Carreira é preciso colocar tudo numa balança

 

Assistindo uma palestra do Prof. Edgar Almeida, sobre sua tese de mestrado, Desafios e Oportunidades de Carreira na Maturidade, memorizei a seguinte informação, uma pessoa com 55 anos de idade pode estar no auge da sua produtividade. Portanto ainda posso chegar lá, mas o que realmente me encanta é compartilhar conhecimento, orientar, dividir experiências. Isto para mim, pode se tornar fascinante!

Ficou bastante evidente que na Transição de Carreira o difícil é saber o que você quer, porque, neste momento da vida, é muito fácil saber o que você não quer. Normalmente muito anos de insatisfações e decepções não te deixam ter dúvidas.

Mas como descobrir o que você quer? Somente alguém que já viveu este tipo de situação tem experiência suficiente para repassar? Ferramentas e técnicas podem ajudar a descobrir ou indicar um caminho para começar esta busca. Acredito que, se juntarmos conhecimento e técnica o resultado pode ser bem melhor.

É muito importante ter alguém que mostre os obstáculos que você pode encontrar no caminho, e te coloque dentro da realidade. E, ainda dependendo da fase, idade e mercado, é importante também ter alguém que ajude a não desistir, fazendo com que a vontade e a persistência superem qualquer empecilho.

Não podemos esquecer que além de saber o que se quer, ter vontade e persistência, é imprescindível saber “Pivotar”, no momento certo e quantas vezes forem necessárias. Em administração, Pivotar é fazer alterações no modelo de negócio original, isto é mudar de direção de forma planejada, quando o modelo inicial não está dando resultado.

 

É possível melhorar a vida profissional e pessoal 

  

Melhorando a vida profissional, haverá uma melhora na sua vida pessoal. É evidente que uma coisa é consequência da outra, não se vive bem na vida pessoal se sua vida profissional não estiver equilibrada. Nesta fase você pode estar passando por uma mudança, às vezes forçada, e precisa saber tirar proveito disto.

Você pode viver bem, balanceando vida financeira e vida pessoal, sem ter um alto rendimento, somente reduzindo custos. Saber diminuir gastos desnecessários, além de ser uma necessidade, pode ser uma forma altamente gratificante de aproveitar coisas boas da vida, e ter muito prazer!

Sabemos do que somos capazes, e podemos fazer muito mais do que nos permitem. Mas é sempre bom lembrar que nada é perdido, e que toda experiência é válida, por mais insignificante que possa parecer no momento.

Devemos estar sempre inventando ou tentando fazer uma coisa nova, conhecer uma área diferente. Mas o melhor que podemos fazer é usar o nosso conhecimento e experiência de forma diferente, compartilhando e divulgando. Isto, sem dúvida nenhuma é altamente compensador!

Assistindo uma palestra de Sandra Chemin, no TEDxSãoPaulo, O futuro do trabalho é o presente que você cria, achei o seguinte trecho notável, e resolvi reproduzi-lo:

 

“Não existe um único caminho, não existe escolha fácil ou perfeita, tudo tem dois lados. Quando nós conhecemos as opções disponíveis, isto ajuda a construir o caminho”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

www.000webhost.com